Animais na piscina: dicas para a segurança dos pets

Animais na piscina: dicas para a segurança dos pets

9 de outubro de 2020 0 By solazer

Saiba como manter a segurança dos seus animais na piscina e garantir a diversão completa para toda a família, dentro e fora da água!

Ter uma piscina em casa é, sem dúvida, diversão garantida para toda a família! Mas assim como é preciso ter alguns cuidados para garantir a segurança de adultos e crianças, também é preciso ter com os animais, dentro e fora dela. Continue lendo e entenda!

Mas os animais podem entrar na piscina?

Não são só os seres humanos que podem aproveitar as águas das piscinas, os animais também podem! A natação ajuda os bichos de estimação à se refrescarem,gastarem energia, fortalecerem os seus músculos, melhorarem o condicionamento físico e também a relaxarem.

Mas é fundamental ressaltar que não são todos os animais que podem entrar na piscina.

A grande maioria dos gatos, por exemplo, não gosta de água e nadar pode acabar causando um grande estresse a eles. E também nem todos os cães devem nadar. 

Algumas raças têm características físicas que dificultam essa prática. Corpo desproporcional e muito pesado, porte pequeno ou patas curtas e focinhos achatados, são alguns exemplos. Esses, possuem um maior risco de se afogarem ou sofrerem algum mal súbito. Animais com alguma doença nas articulações e ligamentos, na pele ou no sistema cardiovascular também não devem entrar na piscina.

O ideal é sempre consultar um veterinário de confiança sobre se o seu animal pode ou não entrar na piscina. E também sobre os cuidados necessários para sempre manter a saúde e bem estar do seu companheiro. 

Cachorro em cima de uma pranchinha, na piscina

Photo by Mia Anderson on Unsplash

Natação por instinto?

Também não são todos os animais que sabem nadar. É bastante comum acreditar que o “instinto” deles já os prepara para essa situação, mas não é bem assim.

Principalmente dependendo da introdução que eles tiverem na piscina, os animais podem sentir medo, desenvolver fobias e ter dificuldades para nadar.

Por isso, é fundamental tomar cuidados específicos e ter calma para ensiná-los a nadar, colocando-os na piscina para que acostumem aos poucos, e sempre com supervisão. 

Animais na piscina e riscos para os donos

Uma dúvida comum de muitos donos é se deixar que seus companheiros entrem na piscina junto com o restante da família pode transmitir doenças. 

Mas não é preciso se preocupar! Desde que seus cuidados com seu pet estejam em dia (banho, visitas ao veterinário, vacinação,controle de parasitas, etc) vocês não correm nenhum risco!

Dicas para a segurança dos pets na água

Cachorro na piscina

Foto de Helena Lopes no Pexels

Conheça então algumas dicas essenciais para manter a segurança dos animais na piscina e poder aproveitar com tranquilidade!

Tenha rampa ou degraus para que eles possam entrar e sair com segurança

Piscina com degraus
Piscina com degraus Sólazer Piscinas

Os animais não têm tanta facilidade em sair das piscinas e esse é uma das principais razões de afogamentos. Esse problema pode ser solucionado com a instalação de rampas e escadas.

A própria piscina pode ser construída com degraus que facilitem a entrada e saída dos bichinhos, ou rampas. Mas em caso contrário, esses acessórios podem ser instalados posteriormente. O ideal é que sejam largos e seguros o suficiente para apoiar as patinhas. E lembre-se do piso antiderrapante para evitar que escorreguem!

Também existem plataformas específicas para animais que podem ser uma boa pedida!

Ensine os animais a nadar

Como já dissemos, não são todos os animais que sabem nadar. Sendo então necessário que os donos os ensinem e os acompanhem nesse aprendizado.

Entre com seu pet na água e fique na parte rasa com ele até que acostume com a piscina. Segure-o e deixe que reme com as patinhas, ofereça recompensas e principalmente tenha paciência! 

Não se esqueça de mostrar a eles como entrar e sair, seja pela rampa ou escada. Assim, caso ele se canse ou caia sem querer, saberá como sair e voltar para a segurança. 

E pode ser interessante contratar os serviços de um treinador para te ajudar nesse processo!

Supervisão sempre!

Mesmo que seu pet saiba nadar, é fundamental que alguém sempre esteja de olho e pronto para intervir e socorrer caso seja necessário. 

Mantenha a piscina cercada e coberta quando não estiver em uso

Nem sempre os donos estão por perto da piscina e pode acontecer do animal cair na água, causando algum acidente. 

Para evitar que isso aconteça, é fundamental manter a piscina sempre cercada ou coberta quando não estiver em uso. Existem diversas opções de cercas e capas de proteção no mercado, que se adaptam à área da piscina em questão e podem ser facilmente colocadas. 

E também existem alguns alarmes que irão avisar os donos responsáveis sempre que acontecer de algo ou alguém cair na água. 

Coletes salva vidas para cães

Sim, os cães também podem ter seus próprios “coletes salva vidas” para uma brincadeira na água ainda mais segura e confortável. 

Os coletes podem ser encontrados nos mais variados tamanhos e devem suportar todo o peso do animal, sem comprometer a sua movimentação. 

Mantenha a manutenção da piscina e seus acessórios em dia

Conservar a piscina sempre limpa permite a sua utilização sempre que desejar e evita a proliferação de microorganismos. 

Para isso, é preciso sempre usar um skimmer para tirar o excesso de pelos e outras sujeiras e controlar os produtos químicos colocados. O ph da água deve permanecer entre 7.0 e 7.4, enquanto os níveis de cloro não podem ultrapassar os 3 ppm. Porém o ideal é sempre consultar a empresa responsável pela construção da sua piscina ou um especialista no ramo para recomendações precisas. 

Os filtros da piscina também vão precisar de uma atenção ainda mais frequente, justamente pela quantidade de pelos que caem na água. A manutenção periódica vai evitar que o sistema de filtragem estrague e manter a sua piscina sempre limpa!

E caso o seu pet faça as necessidades dentro da água, não se desespere! Não é preciso esvaziar ou algo do tipo, mas sim fazer uma supercloração. 

Cuidados antes e depois da utilização da piscina

Cachorro tomando banho

Foto de nishizuka no Pexels

Alguns dos produtos utilizados na manutenção da piscina e o excesso de água podem causar irritações nos olhos e na pele dos animais, como a dermatite, por exemplo. Para evitar que isso aconteça e até mesmo que se agrave, é fundamental sempre dar banho no seu pet e secar bem o seu pelo após a utilização da piscina. Lembre-se também de sempre secar bem a orelha e o ouvido deles. 

E antes de entrar na piscina, não dar alimentos ou ração para que eles não passem mal e também limpar as patas para não sujar a piscina também é interessante!

Quer ter uma piscina segura para o seu pet? Fale com a Sólazer Piscinas!

Nós da Sólazer Piscinas estamos há anos trabalhando para proporcionar momentos de lazer para toda a família, inclusive para os animais na piscina. Para saber mais sobre nossos serviços ou tirar possíveis dúvidas, é só falar com um de nossos consultores ou fazer uma visita em nosso showroom!

Sólazer Piscinas
Sólazer Piscinas